Foi publicado hoje o primeiro caso de Monkeypox em um recém-nascido de 10 dias de vida. Infecções perinatais podem ocorrer com outras doenças como a sífilis e o herpes, por exemplo. Costumam evoluir de forma muito mais grave que nos adultos, porque o neonato tem uma imunidade muito imatura ainda.

No caso publicado não é tão simples fazer a diferença com o herpes neonatal por exemplo, exceto porque já se sabia da infecção dos pais. Após 1 mês em terapia intensiva, incluindo 14 dias de ventilação invasiva, a criança se recuperou e recebeu alta hospitalar. O método DermatoXpert é útil em fazer esta diferença baseado na presença predominante de pústulas e adenomegalia, além da rica história familiar.

A evolução do Monkeypox na atual epidemia tem tomado um caminho preocupante. Deixou de estar restrita a jovens indivíduos adultos, onde a contaminação era por via sexual, e já se espalhou para idosos, pets e agora até para recém-nascidos, comprovando que é uma doença que veio para ficar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *