Com crescimento do número de casos de monkeypox torna-se imperativo para nós médicos saber reconhecer os casos suspeitos. Vamos usar a pele a nosso favor?

Com crescimento do número de casos de monkeypox torna-se imperativo para nós
médicos saber reconhecer os casos suspeitos

Vamos usar a pele a nosso favor?

No post de hoje vamos falar de pústulas de extremidades, manifestação que tem se mostrado comum nos casos não endêmicos de monkeypox
Quais são as características e variações das pústulas:

  • Geralmente sobre base inflamatória (eritema)
  • Possibilidade de necrose central
  • Sintomas variam desde assintomáticas a quadros bem dolorosos
  • Número de lesões pode variar, mas geralmente são poucas lesões, podendo inclusive ser única
  • Localização – pode ser palmar, na transição ou no dorso

E nesse contexto qual é o principal diagnóstico diferencial? Para não ficar longa a discussão, aqui trouxemos um caso de gonococcemia.

  • Ambas as doenças são febris associadas a toxemia e sintomas sistêmicos.
  • Ambas as doenças podem acometer a região de orofarínge.
  • Ambas as doenças podem acometer as articulações.
  • Ambas as doenças podem causar uretrite e proctite.
  • As duas doenças podem ser transmitidas por via sexual

O que você achou? Concorda com o nosso diagnóstico diferencial? Você será
#dermatoXpert em casos semelhantes?

Lembro que temos atualizações constantes sobre monkeypox e que se você deseja ficar por dentro de tudo não esqueça de seguir o nosso blog.

Interessada ou interessado? Inscreva-se em nosso evento gratuito sobre Monkeypox e saiba mais! E não esqueça de comentar e compartilhar o conteúdo (mas só se achou útil). Manda outros diagnósticos diferenciais de pústulas de extremidades nos comentários, combinado?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *